Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Assinatura Digital

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

A Luz do mundo!

«Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida.» (Jo 8, 12) No alto do calvário, no momento da crucificação, as trevas inundaram a terra, os homens mataram o Filho de Deus, o mal parece ter vencido. Mas, ao terceiro dia, da escuridão do sepulcro, brota uma Luz que nunca mais se apagará, Cristo Ressuscita pelo poder do Amor e clama: «Não tenhas medo! Eu sou o Primeiro e o Último; aquele que vive. Estive morto; mas, como vês, estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da Morte e do Abismo!» (Ap 1, 17-18)

Jesus está vivo! A sua vitória é dom de Graça para quem aceita viver a Páscoa. Alguns dizem “a morte é o que temos mais certo”, mas nós sabemos que Jesus jamais nos abandona, não vivemos condenados a morrer, porque Ele nos abriu as portas do paraíso. A grande certeza da vida de quem acredita, o que temos mais certo, é que «Cristo Ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram e os que pertencem a Cristo voltarão à vida com Ele.» (Cfr. 1 Cor 15, 20. 23)   

Hoje, neste ano de 2021, é preciso que haja Páscoa na vida de cada um de nós. Cristo quer passar na nossa existência e libertar-nos de todos os medos que nos paralisam, das angústias que nos esmagam, das rotinas vazias que nos escravizam, das lógicas injustas que nos oprimem, de critérios e opções que nos alienam ao mal, dos ressentimentos e histórias mal resolvidas que nos endurecem o coração e incapacitam para amar. Cristo tem poder e quer fazer Páscoa connosco! «O Senhor é bom, é um refúgio no dia da tribulação e conhece os que se refugiam nele.» (Naum 1, 7)

O nosso mundo vive tempos de instabilidade e insegurança. Nada será como antes! A pandemia mudou muitas coisas, e pode ser uma oportunidade para que também nós mudemos, no sentido de acreditarmos que não é neste mundo passageiro que se encontra o sentido da vida. A Igreja proclama a Boa Nova que transforma a nossa existência numa plenitude de Amor porque «Cristo padeceu por nós, deixando-vos o exemplo, para que sigais os seus passos, subindo ao madeiro, Ele levou os nossos pecados no seu corpo, para que, mortos para o pecado, vivamos para a justiça.» (Cfr 1 Pe 2, 20. 23)

A Luz do Ressuscitado brilha em todos os baptizados, para que por meio deles ilumine todo o mundo. A fé em Jesus implica que todos os dias saibamos renunciar: ao pecado para vivermos na liberdade dos filhos de Deus; às seduções do mal, para que o pecado não nos escravize; e a Satanás, que é o autor do mal e pai da mentira. Conforta-nos saber que neste combate nunca estamos sós e, apesar de tantas vezes nos deixarmos enganar, Ele revela-nos como o Pai está sempre disposto a acolher-nos de braços abertos, para nos envolver na sua misericórdia infinita, e fazer festa connosco. (Cfr Lc 15, 11-32) Deus nunca desiste, para Ele não existem impossíveis!

A paixão, morte e ressurreição de Jesus interpelam-nos, desafiam-nos a não nos resignarmos ao mal, a uma existência vivida na lógica da sobrevivência egoísta, porque a verdade é que «Ele morreu por todos, a fim de que, os que vivem, não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.» (2 Cor, 5, 15) Cristo mostra-nos como o Amor é sempre a resposta certa. Quem ama tem por que esperar, porque Deus é fiel e no seu Filho oferece-nos a eternidade, basta que sigamos os seus passos.

A felicidade, a Bem-Aventurança eterna, é o fim da história. Deus criou-nos para o paraíso! A nossa passagem neste mundo é repleta de contingências, de problemas e contrariedades, de vírus ameaçadores, e este ano elas são acrescidas pelas limitações impostas para segurança e bem de todos. Mas não nos deixemos enganar e aceitemos viver a Páscoa naquilo que esta é, como acontecimento divino, na existência da humanidade inteira. Cristo passa nas nossas vidas, larguemos o que não interessa, e vamos com Ele até à Vida!

A todos desejo uma Santa Páscoa!

Pe. Ricardo Franco
Edição 1300 - 1 de Abril de 2021