Pesquisa   Facebook Jornal Alvorada
Login

Login na sua conta

Username *
Password *
Lembrar-me

Criar uma conta

Campos marcados com (*) são obrigatórios.
Nome *
Username *
Password *
Confirmar Password *
Email *
Confirmar email *
Captcha *
Reload Captcha

Município de Torres Vedras compromete-se a melhorar o hospital da cidade até 2021

CHO protocolo Torres Vedras

O Município de Torres Vedras e o CHO - Centro Hospitalar do Oeste estabeleceram esta quarta-feira uma parceria com vista à melhoria dos serviços do hospital na cidade, tendo assistido à assinatura do protocolo o secretário de Estado da Saúde, António Sales, que saudou a iniciativa e elogiou o acordo assinado pelo presidente da câmara, Carlos Bernardes, e a administradora Elsa Baião. A execução deste acordo vai ser acompanhado pela Assembleia Municipal de Torres Vedras, através da Comissão da Saúde, com reuniões trimestrais entre as partes.

O protocolo contempla 17 medidas, com responsabilidades repartidas entre o CHO e o Município de Torres Vedras. Ao CHO compete “fazer cumprir o compromisso assumido pela tutela de abrir quatro postos de trabalho para recrutamento de médicos especialistas em pediatria até 2023”, “garantir os recursos humanos necessários ao funcionamento ininterrupto da urgência pediátrica” e criar internamento pediátrico no Hospital de Torres Vedras.

O acordo vincula ainda o CHO a estudar a possibilidade de vir a criar uma Unidade de Cuidados Intensivos, lançar até ao final de 2021 o concurso para as obras na urgência geral, instalar a valência de psiquiatria, garantir médicos para o Centro de Diagnóstico Pneumológico, pugnar para que a tutela venha a considerar Torres Vedras como zona carenciada e crie incentivos para os pediatras, e contratar profissionais que assegurem os serviços hospitalares, na sequência da reposição das 35 horas semanais.

No acordo, o município torriense compromete-se a efectuar diversas melhorias no actual edifício do hospital, financiar obras de requalificação do serviço de pediatria, dotando-o de internamento, procurar financiamento para a criação de uma Unidade de Cuidados Intensivos e para a Unidade de Manipulação de Citotóxicos, e encontrar instalações para relocalizar o Centro de Diagnóstico Pneumológico, assim como para a instalação da psiquiatria.

Em declarações à agência Lusa, António Sales sublinhou que “este protocolo é muito importante, porque ao nível da prestação de cuidados de saúde vai melhorar a vida das populações destes concelhos”. Questionado se no próximo concurso para a contratação de médicos vão ser abertas quatro vagas para pediatras para a unidade de Torres Vedras do CHO, no sentido de manter aberta a urgência pediátrica a médio e longo prazos, o governante remeteu para o acordo. “O clausulado não diz isso e fala na abertura das quatro vagas ao longo da legislatura”, disse. O governante adiantou ainda que “não é antes porque foi o que foi articulado entre as partes” e que “se tivesse recursos para o fazer antes, o faria antes”, remetendo a questão para a falta de médicos no país. “É importante que, para os pediatras se fixarem em Torres Vedras, haja condições de atractibilidade e que haja um serviço com internamento e projectos de carreira”, sublinhou.

Registe-se que o secretário de Estado da Saúde é natural do Bombarral e fez o internato, enquanto médico, no Hospital das Caldas da Rainha, conhecendo por isso muito bem a realidade dos serviços hospitalares da nossa região. Esteve também presente nesta cerimónia, que decorreu no átrio do Hospital de Torres Vedras, o presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco, entre outros responsáveis de organismos do Serviço Nacional de Saúde. Da parte dos autarcas oestinos, registou-se a presença de João Duarte Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Lourinhã, e de Ricardo Fernandes, edil da Câmara Municipal do Bombarral, cujos munícipes recorrem à unidade hospitalar torriense administrada pelo CHO.

Texto: ALVORADA com agência Lusa
Fotografia: Paulo Ribeiro/ALVORADA